Pular para o conteúdo

Fotografia Naturalista (diga não ao pictorialismo!)

  • por

Conteúdo atualizado há 11 meses

Antes de causar qualquer confusão, deixo claro que este post não trata de fotografias de natureza, mas sim do estilo naturalista, defendido fervorosamente por P. H. Emerson (1856-1936) em seu livro Fotografia Naturalista para Estudantes da Arte. Vamos começar então, definindo o que é fotografia naturalista…

A fotografia naturalista (ou naturalística) vai contra a produção artística. A ideia é captar imagens que retratem exatamente o que o olho humano viu na cena. Ou seja, manipulações e edições são proibidas. A não ser que sejam praticadas apenas para corrigir falhas da câmera, com o objetivo de ser totalmente fiel ao assunto original. É como usar todas as semelhanças que a câmera tem com o olho humano.

Ernst Gombrich (1909-2001), um dos mais célebres historiadores de arte do século XX, também oferece uma definição da semelhança da imagem com a realidade. Compartilho abaixo para quem deseja compreender a fundo a ideia de fotografia naturalista.

“Uma imagem fiel é uma superfície física delimitada, processada de um tal modo que reflete (ou transmite) um feixe de raios de luz num dado ponto que coincidiria com o mesmo feixe de raios do original àquele ponto.”

Ernst Gombrich

Este é o estilo naturalista: guardar um registro da realidade exatamente como ela é. Foi no auge deste movimento, por volta dos anos 1890, que nasceu a discussão para definir se fotografia pode ser considerada arte ou não.

Afinal, podemos construir novas imagens e recriar momentos, ou o correto seria apenas registrar o real, sem edições? Até hoje, muitas pessoas não conseguem responder à essa pergunta. Se você quiser refletir sobre o tema e obter suas próprias conclusões, continue lendo até o final.

flores laranjas registradas no estilo de fotografia naturalista
Fotografia Naturalista de flores por Eliane Terrataca

Origem da Fotografia Naturalista

Como expliquei no início deste texto, a fotografia naturalista tem base no trabalho do fotógrafo britânico Peter Henry Emerson, que publicou o livro Naturalistic Photography for Art Students em 1886. A ideia principal de Emerson foi mostrar que a fotografia pode ser usada como uma ferramenta capaz de criar imagens bonitas e evocativas.

Para a Emerson, a coisa mais importante não era copiar a realidade, mas mostrá-la em toda sua beleza. Para fazer isso, ele defendeu o uso de luz e sombra para dar mais expressividade às imagens.

“O artista deve aprender a selecionar e concentrar seu assunto, e organizar suas luzes e sombras de modo a revelar seu verdadeiro caráter e forma, sua relação um com o outro e seu lugar no quadro como um todo”.

Nesta citação, podemos ver que Emerson não estava interessado em criar cópias exatas da realidade. Pelo contrário, ele queria mostrar o mundo através de seus olhos, destacando a beleza das cenas que fotografou.

No entanto, muitas pessoas não entenderam este conceito e pensaram que ele estava simplesmente defendendo a criação de imagens bonitas, sem qualquer valor artístico. E este debate continuou até o início do século XX, quando o pictórico começou a perder força e a fotografia naturalista ganhou mais e mais seguidores.

The Ferry Boat Inn, Tottenham, foto naturalista de Peter Henry Emerson (1888)
The Ferry Boat Inn, Tottenham, foto naturalista de Peter Henry Emerson (1888)

Fotografia Naturalista contra o Pictorialismo

O estilo naturalista é contra o pictorialismo, que se inspirou nas técnicas estéticas de pinturas e gravuras para criar imagens fotográficas quase que irreais. Porque a fotografia puramente artística, ou o que é comumente chamado de pictórico, fica muito longe da realidade. Já que os fotógrafos praticam a pós-produção com a finalidade de transformar a imagem em uma espécie de pintura.

O estilo pictórico na fotografia foi muito bem sucedido no final do século XIX e início do século XX. Mas, com o tempo, esta forma de produzir fotografias foi perdendo seguidores. A principal razão para isto é que, à medida que a tecnologia foi melhorando, tornou-se cada vez mais fácil produzir imagens com uma semelhança cada vez maior com a realidade.

O movimento pictorialista eclodiu na França, na Inglaterra e nos Estados Unidos a partir da década de 1890, congregando os fotógrafos que ambicionavam produzir aquilo que consideravam como fotografia artística, capaz de conferir aos seus praticantes o mesmo prestígio e respeito grangeado pelos praticantes dos processos artísticos convencionais. O problema é que essa ânsia de reconhecimento levou muito dos adeptos do pictorialismo a simplesmente tentar imitar a aparência e o acabamento de pinturas, gravuras e desenhos ao invés de tentarem explorar os novos campos estéticos oferecidos pela fotografia. Por esta razão, este movimento, que perdurou basicamente até a década de 1920, foi estigmatizado durante muito tempo, mas, felizmente, assistimos hoje a uma releitura desapaixonada do pictorialismo que certamente muito contribuirá para a correta avaliação e contextualização histórica de suas contribuições.

Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira

Perceba como, apesar de estar presente até os dias de hoje, o estilo fotográfico de pictorialismo perdeu força com o tempo. Arrisco a dizer que o estilo de fotografia naturalista foi uma das influências para que isso acontecesse, além do avanço da tecnologia. Mas, como praticar o estilo naturalista nas suas fotos?

Dicas para praticar a Fotografia Naturalista

Agora que você sabe o que é fotografia naturalista, é hora de aprender a praticá-la. Para te ajudar, vou deixar oito dicas de como praticar a fotografia naturalista. Lembrando que são apenas orientações iniciais e você deve (sempre) fazer da maneira que for melhor para você e que te traga os resultados que deseja. Veja só:

  1. Use um tripé;
  2. Use um disparador remoto;
  3. Preste atenção à luz;
  4. Seja paciente;
  5. Evite editar suas fotos;
  6. Use filtros;
  7. Chegue mais perto do assunto;
  8. Registre cores naturais.

Naturalistic Photography for Students of the Art (English Edition)

R$ 9,90  indisponível
Amazon.com.br
Preço atualizado em 18 de julho de 2024 21:29

1. Use um tripé

Uma das principais características da fotografia naturalista é que ela não usa técnicas de edição para melhorar a qualidade da imagem. Portanto, é essencial que você cuide de cada detalhe quando estiver fotografando. O uso de tripés ou monopés ajudará você a obter imagens mais nítidas e evita o tremor da câmera. Isto é essencial para registrar fotografias detalhadas e realistas.

2. Use um disparador remoto

É um dispositivo que permite que você tire fotos sem tocar na câmera. Pode ser um dispositivo avulso, ou até mesmo um aplicativo no seu smartphone. Assim, você também pode evitar o tremor da câmera e obter imagens mais nítidas.

3. Preste atenção à luz

A luz é um dos elementos mais importantes na fotografia. Ela pode te ajudar a criar imagens mais expressivas e realistas. Portanto, ao praticar a fotografia naturalista, é essencial que você preste atenção à maneira como a luz ilumina o seu assunto. Além disso, sempre prefira a luz natural e evite o uso de flashes.

4. Seja paciente

Uma das coisas mais importantes na fotografia naturalista é ser paciente. Isto porque, na maioria dos casos, você precisará esperar pela luz perfeita ou pelo momento certo para tirar a foto. Claro que tudo isso sempre de acordo com o que você deseja registrar.

5. Evite editar suas fotos

Como mencionei anteriormente, uma das características da fotografia naturalista é que ela não usa técnicas de edição para modificar a imagem. Portanto, você só deve editar suas fotos de caso seja realmente necessário fazer correções para melhorar a qualidade, mas sem alterar o que foi fotografado.

6. Use filtros

Um filtro polarizador é um tipo de filtro que ajuda a reduzir os reflexos e o brilho. Isto é muito útil para tirar fotos de água ou vidro, por exemplo. Também vale investir em outros filtros para lentes, como um filtro de densidade neutra, que ajuda a reduzir a quantidade de luz que entra na câmera – poder ser muito útil para tirar fotos em condições brilhantes ou em longas exposições.

7. Chegue mais perto do seu assunto

Uma das melhores maneiras de capturar imagens mais realistas e detalhadas é se aproximar ao seu assunto. Isto porque, ao se aproximar, você será capaz de capturar mais detalhes e texturas. Então, pare e pense antes de fotografar, analise as possibilidades e se aproxime o suficiente para ter o resultado que desejar.

8. Registre cores naturais

Por fim, sempre prefira destacar as cores naturais, como elas são, quando você estiver fotografando. Assim, você poderá criar imagens mais harmoniosas e realistas. É claro que o olho humano enxerga muito mais cores que uma câmera fotográfica, mas se esforce para ser o mais realista possível.

Estas são apenas algumas dicas para você que não sabe muito bem como praticar a fotografia naturalista. São dicas que eu mesma uso quando escolho esse estilo. Mas, é claro, você poderá desenvolver sua habilidade e suas técnicas de fotografia com bastante prática e aprendendo com os próprios erros.

Conclusão

Hoje em dia, a fotografia naturalista não é tão popular como era antes. Entretanto, muitos fotógrafos que valorizam a fidelidade à realidade acima de tudo, ainda preferem usar esse estilo fotográfico. Especialmente quando se trata de fotojornalismo e fotografia documental.

Se você está interessado, eu recomendo que você leia o livro do Emerson e tente aplicar as ideias dele em seu próprio trabalho. Tenho certeza de que você será capaz de criar algumas imagens bonitas e evocativas!

Eu sou a favor da liberdade de criação e acredito que todos devem utilizar a fotografia como desejarem. É por conta dessa liberdade criativa que encontramos lindos trabalhos por aí. Mas acredito que a fotografia naturalista também tem seu charme. Ainda mais em um mundo digital em que tudo parece estar obrigado a passar por algum tipo de manipulação.

O que você acha? Concorda comigo? Ou você acha que o pictórico ainda tem seu lugar na fotografia de hoje?

1 comentário em “Fotografia Naturalista (diga não ao pictorialismo!)”

  1. Mesmo a fotografia naturalista está fadada a sucumbir ao olhar do fotógrafo. Afinal de contas recortamos a realidade para mostrar apenas o que nos convém. Desse modo, mesmo a foto naturalista está carregada de ideologia. Já dizia José Medeiros: “A fotografia é aquilo que vemos. Porém, aquilo que vemos depende de quem somos”.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *