Pular para o conteúdo

Interpretação fotográfica: entenda o que é para desenvolver a sua

  • por

Conteúdo atualizado há 10 meses

Este é um assunto muito complexo e que causa confusão. Isso acontece porque é muito comum as pessoas confundirem interpretação fotográfica com percepção. E essa pequena confusão complica bastante a tentativa de o fotógrafo transmitir uma mensagem, da maneira como ele desejou, para o observador da imagem.

Todo fotógrafo deve ter em mente que tudo o que é registrado (da maneira como foi pensado) não terá o mesmo significado para diferentes observadores. E, mais complicado ainda, nem sempre terá o mesmo significado planejado, já que o resultado de comunicação pode mudar constantemente.

Complexo? Sempre será! Esse processo de interpretação envolve desde a escolha que o fotógrafo faz do momento, até as conclusões que os observadores terão a respeito das fotografias – que, por serem bidimensionais, já não podem ser consideradas como realidade, que é tridimensional. Esse fato é bem explicado pelo grande autor Boris Kossoy, quando diz:

“A realidade fotográfica não corresponde (necessariamente) à verdade histórica, apenas ao registro expressivo da aparência”.

Agora para resumir e deixar mais fácil de compreender… Podemos dizer que todo o processo de interpretação fotográfica envolve, basicamente, três tópicos que merecem atenção: a imagem, o fotógrafo e o observador. Confira detalhes sobre cada um deles a seguir. Mas, antes, você também precisa entender o que é interpretar uma foto e porque todo fotógrafo precisa ter isso em mente ao fotografar. Vamos lá?

mulher imitando uma câmera com as mãos para ilustrar o que é interpretação fotográfica e sua importância para fotógrafos
Todo fotógrafo deve entender o que é interpretação fotográfica | Foto: Kues no Freepik

O que é interpretação fotográfica?

Você já olhou para uma foto e se perguntou o que ela estava tentando nos dizer? Isso é o que chamamos de interpretação fotográfica, um jeito de entender o que uma foto está nos contando. Sabe quando você desenha uma imagem para contar uma história? As fotos também fazem isso, mas em vez de desenhar, elas usam as coisas de verdade que foram registradas com uma câmera fotográfica.

Imagine que uma foto é como uma charada. Ela tem pistas escondidas para descobrirmos o que está acontecendo. Às vezes, a pessoa que tirou a foto, o fotógrafo, quer que a gente sinta algo especial ao olhar para ela. Como quando você tira uma foto de uma flor para se lembrar como ela estava bonita.

Mas a parte mais legal é que todos nós vemos as fotos de maneira diferente! Isso acontece porque cada um de nós tem suas próprias histórias, memórias e sentimentos. Às vezes, algo que parece triste para uma pessoa pode parecer alegre para outra! Além disso, uma foto não é feita apenas com a câmera, há muito mais envolvido nesse processo – que vou explicar já já.

Então, a interpretação fotográfica é como descobrir segredos nas fotos. É como ouvir as palavras que elas sussurram e sentir as emoções que elas querem compartilhar. Cada foto é como um pequeno tesouro de histórias e sentimentos, e é você quem pode desvendar esses tesouros com sua imaginação!

Agora, quando olhar para uma foto, lembre-se de que ela pode estar escondendo muitas histórias e sentimentos, prontos para você descobrir. E continue lendo para entender o elementos que fazem esse processo todo acontecer.

Elementos da interpretação fotográfica

A interpretação fotográfica transcende a mera apreciação visual e nos conduz a um universo de significados profundos. Na análise de uma fotografia, entram em cena três protagonistas essenciais: a própria imagem, o olhar do fotógrafo e a perspectiva do observador. Cada um desses elementos contribui para a riqueza da interpretação, ampliando nossa compreensão sobre o que a fotografia pode transmitir.

A imagem capturada é o ponto de partida, uma composição de elementos visuais cuidadosamente selecionados pelo fotógrafo. Ela é um instantâneo de um momento, um fragmento de realidade congelado no tempo, porém com um potencial inexplorado.

Como Fernando Pessoa observou em seu texto “Mensagem”, o receptor precisa de algumas qualidades para conseguir entender o significado. Essa reflexão também ressoa na interpretação fotográfica, lembrando que por trás da superfície visível pode haver camadas mais profundas de significado.

O fotógrafo, por sua vez, desempenha um papel crucial na construção da imagem. Cada escolha, desde a seleção do assunto até a composição, iluminação e enquadramento, reflete a intenção e a visão do artista por trás da câmera. Assim como o poeta Pessoa molda suas palavras para transmitir emoções e conceitos, o fotógrafo tece elementos visuais em uma narrativa que convida à interpretação.

No entanto, é no observador que a interpretação fotográfica ganha vida. Cada pessoa traz consigo uma bagagem única de experiências, crenças e emoções, influenciando a forma como percebem e decodificam a imagem diante delas. A subjetividade molda a interpretação da fotografia.

Vamos entender melhor isso tudo? Vou aprofundar cada um dos elementos da interpretação fotográfica:

  1. A Imagem
  2. O fotógrafo
  3. O observador

A imagem

Analisar imagens é sempre uma tarefa complicada, já que as pessoas confundem percepção com interpretação fotográfica. Muitos pensam que não é necessário analisar uma imagem, porque acreditam que ela seja um recorte da realidade. Entretanto, isso os faz esquecer que cada pessoa possui um olhar diferente e gera, consequentemente, inúmeras interpretações distintas.

Mas não é difícil aprender a analisar imagens. Basta alcançar o que o autor José de Sousa Martins define como alfabetização fotográfica: “a capacidade de ver uma fotografia e interpretar o que ela contém, como requisito para que a fotografia entre no circuito dos processos interativos de que é instrumento e indício”.

A leitura de imagens acontece em três fases, que ocorrem na seguinte ordem:

  1. Percepção: fase ótica, onde percebemos as formas e as tonalidades de uma imagem no geral.
  2. Identificação: combina ações óticas e mentais que ajudam a reconhecer os componentes, a identificação é quase sempre igual para todas as pessoas.
  3. Interpretação: ação totalmente mental e pessoal, sendo influenciada pelas experiências pessoais e lembranças de cada observador.

Ou seja, é como uma aventura de três passos. Primeiro, nós olhamos para a imagem, enxergando suas formas e cores. Depois, reconhecemos o que está ali, identificando os elementos principais. Isso é como encontrar as peças do quebra-cabeça que são sempre as mesmas para todos. Por fim, a interpretação! Aqui é onde nossa imaginação entra em cena, ligando as pistas e criando histórias a partir de nossas experiências e lembranças.

O fotógrafo

O fotógrafo possui experiências e lembranças em seu repertório que o influenciam na hora de eleger uma cena com todos os detalhes registrados ou “escondidos”. A fotografia será sempre um documento sobre a mentalidade do fotógrafo, que inicia o processo de geração de sentido. Kossoy define estes profissionais e amadores como “filtros culturais”, que sempre agem influenciados por suas ideologias e estado de espírito.

É aqui que se concentra o principal fator a ser considerado na hora de interpretar uma fotografia. Isso porque a informação registrada só será puramente compreendida quando conhecermos a verdadeira intenção do fotógrafo. Na verdade, você não realiza esse jogo da interpretação para conhecer a realidade, mas para perceber como determinada pessoa observou um momento e quis registrá-lo.

Dessa forma, ao desvendar uma fotografia, mergulhamos não apenas em uma imagem, mas também na mente e no coração do fotógrafo. Cada clique é um pedacinho de sua visão única do mundo, um reflexo de suas paixões, crenças e emoções. Assim, a interpretação se torna uma jornada para compreender não apenas o que vemos, mas também quem somos, quem é o fotógrafo e como essa conexão entre olhos e lentes se torna um elo especial de compreensão mútua.

🔵 LEIA TAMBÉM: O que você pensa antes de fotografar?

O observador

Lembranças, estado pessoal, conhecimento e vivência são alguns dos aspectos que sempre influenciam uma pessoa que observa uma fotografia. Uma mesma foto pode ter muito significado para algumas pessoas, mas para outras pode ser apenas uma imagem qualquer.

Por exemplo, se você não conhecer um personagem importante de uma fotografia, aquela imagem será apenas um retrato para você.

ansel adams
Você sabe quem aparece nessa foto?

Sobre isso, o auto José de Sousa Martins, afirma que:

“O leitor de fotografia pratica um confisco visual da imagem, remontando-a, a partir de suas insuficiências, no seu próprio código de leitura que é também o manual sintético de suas experiências e das experiências do seu ver”.

Por isso é tão difícil conseguir agradar e/ou informar todos os olhares. Mas, assim como o fotógrafo define o momento, a cena, o recorte e os detalhes que prefere registrar, o observador realiza a leitura da imagem à sua maneira, aproximando-se ou afastando-se da interpretação sugerida pelo fotógrafo. Para explicar melhor esta ideia, deixo aqui mais uma citação de Kossoy:

“Os diferentes receptores (…) reagem de formas totalmente diversas – emocionalmente ou indiferentemente – na medida em que tenham ou não alguma espécie de vínculo com o assunto registrado, na medida em que reconheçam ou não aquilo em que encararem com ou sem preconceitos o que veem (em função das posturas ideológicas de cada um)”.

Conclusão

Você já tinha parado para pensar sobre todos estes aspectos da fotografia? Tendo isso tudo em mente, fica mais fácil tentar transmitir as mensagens que você desejar, concorda? Reforçando que é apenas tentar, pois agora você já sabe como tudo pode mudar, não é mesmo?

Desvendar imagens é como abrir um livro de enigmas, onde cada página esconde uma história única. É verdade que podemos confundir o que vemos com o que realmente está acontecendo, mas desse emaranhado nasce a mágica da interpretação fotográfica. Imagine que cada imagem é um quebra-cabeça e nós somos os detetives, decifrando pistas para compreender o que o fotógrafo quis nos contar.

E não pense que é um mistério difícil de resolver! Aprender a analisar imagens é como decifrar códigos secretos. O autor José de Sousa Martins nos dá um conselho valioso: “alfabetização fotográfica”, que é como uma chave para entender o que a foto esconde e revela. Imagine que você está aprendendo um novo idioma – um idioma das imagens!

Assim, analisar imagens é como ser um explorador em um mundo de cores e formas. A cada olhar, a cada pensamento, nós desvendamos segredos, entendemos emoções e descobrimos a magia de uma história escondida na foto. E lembre-se, cada interpretação é como uma impressão digital única, mostrando quem somos e como vemos o mundo ao nosso redor.

Portanto, a interpretação fotográfica é um diálogo envolvente entre a imagem, o fotógrafo e o observador. Cada elemento contribui para a complexidade do significado que emerge de uma fotografia, demonstrando que, assim como as palavras de Pessoa, as imagens fotográficas podem ser um convite a explorar as múltiplas camadas de emoção e mensagem que estão além do que é imediatamente visível.

Fico feliz que você tenha lido até aqui e espero que compartilhe sua opinião no espaço de comentários abaixo. E se gosta de reflexões como esta, aproveite para conferir outros posts na seção de Artigos, pois tem muita coisa bacana por lá.

2 comentários em “Interpretação fotográfica: entenda o que é para desenvolver a sua”

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *